top of page
Buscar

A Guerra do Yom Kippur: o relato de um voluntário

Por Irwin H. Krasna

Foi no Yom Kippur, 6 de outubro de 1973, quando ouvimos pela primeira vez a notícia: o Egito e a Síria atacaram Israel, sem provocação e sem aviso prévio. Antes mesmo de quebrarmos o jejum, assistimos ao noticiário da TV naquela noite. Soubemos que o Egito tinha atravessado o Canal de Suez em pontes improvisadas e atacado as linhas Bar-Lev. A Síria avançou para as Colinas de Golã com massas de tanques e ambas as forças estavam a causar um enorme impacto nas vidas israelitas. Os aviões sobrevoaram o Sinai e as Colinas de Golã e não encontraram resistência.


Muitos generais israelenses alertaram que os árabes estavam a planear um ataque, recomendando que o país se mobilizasse para a guerra e não permitisse que os soldados regressassem para casa durante as férias. A Primeira-Ministra Golda Meir e o Ministro da Defesa Moshe Dayan não estavam convencidos, dizendo que o Cairo e Damasco “agitam o sabre” para agravar Israel e que uma invasão era improvável; e sua opinião prevaleceu.

Quer ler mais?

Inscreva-se em conteudojudaico.com para continuar lendo esse post exclusivo.

3 visualizações0 comentário

Comments

Couldn’t Load Comments
It looks like there was a technical problem. Try reconnecting or refreshing the page.
bottom of page