top of page
Buscar

A incrível carreira da fotógrafa Lee Miller

Por: Angelica Villa



Quando a fotógrafa de guerra, modelo e musa surrealista Lee Miller morreu aos 70 anos em 1977, seu nome era conhecido por um seleto grupo de especialistas no mundo da arte. Sua carreira teve seus marcos: trabalhando com o fotojornalista americano David E. Scherman, ela tirou algumas das imagens mais famosas das atrocidades da era da Segunda Guerra Mundial e posou para Man Ray e Vogue. Ainda assim, sua reputação ficou atrás de seu significado histórico-artístico.


Tudo mudou quando o filho de Miller, Anthony Penrose, descobriu um vasto arquivo do trabalho de sua falecida mãe em um sótão. Em 2013, uma fundação em nome de Miller foi formada na Inglaterra, e mais de 80 mil negativos receberam um site próprio, onde especialistas e instituições poderiam acessá-los. Desde então, o interesse pela arte de Miller cresceu enormemente.

Quer ler mais?

Inscreva-se em conteudojudaico.com para continuar lendo esse post exclusivo.

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page